domingo, 10 de agosto de 2014

Cont...conto qualquer...




Eu então sorri como se não houvesse mais o ontem, e nem o amanhã, e você olhou para mim e sorriu, enquanto levava seu café aos lábios, sob a caneca ainda aos lábios, com aquele olhar que eu ainda me lembro, desde o primeiro dia de nosso encontro, sorristes para mim, e baixou então a caneca, agora já vazia, e disse;
- Precisamos ver o dia nascer, e terminar naquele pôr do sol do nosso primeiro beijo...
Meus olhos se encheram de lágrimas. – Ele ainda lembra do nosso primeiro beijo. Senti uma necessidade de perguntar.
         - Você ainda lembra do nosso primeiro beijo?
Num súbito momento ele então respondeu.
         - Como eu poderia me esquecer do melhor sorriso, da melhor boca já provada, do melhor abraço, da melhor mulher que já cruzou minha vida e nunca dela ter saído...Amar você foi a melhor coisa que já me aconteceu nessa vida, apesar de estarmos à dois bancos de distância agora, ainda estamos juntos, e temos um elo muito maior que o universo, você não pode simplesmente esquecer o que é importante pra você, simplesmente não consegue, é impossível.
Eu ouvi cada palavra do que ele havia dito naquela manhã, e quando eu dei por mim, ele estava a segurar minha mão, com um leve toque, sussurrou ao ouvido “Eu sempre vou estar aqui” então respondi simplesmente “Eu sempre estive aqui”
Às vezes o amor tem disso mesmo, parecer que a distância mata um sentimento, mas na verdade estar apenas fortalecendo.
Foi assim que o amor me resgatou do abismo que eu descia a cada dia, pensando que o amor havia me abandonado, em meio à um simples café sem açúcar, e chocolate quente com muito açúcar, nossos controvérsias se encararam e entenderam que nossas diferenças não eram o bastante para nos separamos, e foi assim que nesse dia começou à se escrever nossa história.

Foi ai que eu percebi que amor, não é apenas um bom entendimento nem uma conversa entre panos limpos, é só um café sem graça, com um pouco de chocolate adoçado.

sábado, 2 de agosto de 2014

Um conto qualquer




O que parecia perfeito, era somente um breve momento de um olhar que não se viu nada.

Eu descia as escadas enquanto você apenas tomava aquele seu velho café de sempre, amargo, sem nenhuma gota de adoçante, porque sua diabetes está atacada, minhas velhas botas que por sinal, pararam de ranger quando eu ando, agora fazem barulho ao descer as escadas da sua casa, queria ser silenciosa, para poupar sua enxaqueca matinal, então eu me sento no banco à pelo menos dois bancos de distância de você, para evitar qualquer contato físico e visual, e não piorar seu mau humor desgraçado, encho minha caneca com muito chocolate quente, mais chocolate e açúcar do que de costume, então você apenas levanta os olhos e com aquele olhar que eu sei que está me condenando e dando o maior sermão, que eu devo pensar na minha vida futuramente, e blá blá blá, coisas que eu sempre acabo ignorando quando você diz... com esse mesmo olhar, mas dessa vez diferente, porque até então você ficava calado, de repente você diz:
         - Você devia mesmo se preocupar mais com sua saúde!
Eu fico apenas surpresa, porque esse é o primeiro diálogo matinal que tenho com você em cinco anos de convivência...eu apenas digo.

         -Prometo ser mais cuidadosa. E sorrio pra ele

Prometo continuar essa história :))